5 dicas de ergonomia no trabalho home office

A ergonomia no trabalho é um assunto muito importante, não é mesmo? 

Por esse motivo, ela deve ser observada até mesmo por quem realiza atividades no modelo home office, já que vivemos tempos em que precisamos ficar em casa por um bem maior – nossa saúde.

Somente assim será possível garantir a postura adequada e um local de trabalho de acordo com o que está presente nas empresas.

Esses fatores são fundamentais para a saúde do trabalhador e garantem que não haverá qualquer tipo de problema futuro com relação a consequências de más decisões.

Neste post, nosso objetivo é mostrar para você como todo trabalhador — até mesmo quem trabalha em casa — deve observar determinados pontos para garantir tanto a sua saúde física quanto a sua segurança. Acompanhe!

Erros comuns no home office

Geralmente, quando se fala em home office, é comum pensar em trabalhar em qualquer mesa e cadeira sem qualquer tipo de preparação prévia do ambiente e sem tomar os cuidados necessários.

O que se esquece é que, mesmo em casa — um ambiente mais relaxado e menos formal —, o tempo gasto para realizar as atividades é praticamente o mesmo que se gastaria dentro do ambiente de uma empresa.

Podemos elencar como principal erro de quem trabalha em regime de home office o de não contar com uma mesa e cadeira específicos para desenvolver suas atividades — um ponto primordial.

O segundo erro mais comum cometido pelos profissionais que atuam em casa é realizar suas atividades deitados no sofá ou até mesmo na cama. 

Manter-se em posições como essa é extremamente prejudicial ao profissional, que, em pouco tempo, pode começar a sofrer de dores nas costas devido à má postura.

Dicas para manter a ergonomia no trabalho

É comum que as pessoas pensem que não podem ter ergonomia no trabalho home office, até mesmo por se tratar de um modelo de trabalho que ainda é pouco difundido no Brasil e não ser muito conhecido.

Porém, é possível criar diversos hábitos que podem melhorar a experiência do trabalhador e diminuir lesões no futuro. A seguir, listamos 5 dicas de como melhorar esse aspecto no ambiente de trabalho em casa.

1. Escolha um local adequado para o trabalho

Trabalhar em home office é um desafio, pois somos tentados a utilizar qualquer local, porém isso não é o ideal. É preciso escolher um local adequado e, de preferência, adquirir uma cadeira e uma mesa especialmente para realizar as tarefas, como dito anteriormente.

2. Esteja atento à postura

Segundo — e um dos pontos mais importantes —, é preciso que você esteja sempre atento à sua postura durante o trabalho. Por isso, evite se manter muito relaxado para que a coluna se mantenha ereta o tempo todo.

3. Faça exercícios de alongamento

Pode ser que você pense que o alongamento só possa ser feita dentro de uma empresa por conta da necessidade de orientação de um profissional qualificado. Porém, é possível realizar a atividade com o apoio de uma plataforma como o Youtube, que reúne muito conteúdo sobre o tema.

Aqui é preciso frisar que alguns cuidados precisam ser tomados para verificar os exercícios que serão realizados, assim como a qualificação do profissional que está repassando as informações.

4. Pratique Yoga

A Yoga é outra prática que pode trazer muitos benefícios para os trabalhadores que atuam em home office. Isso porque ela auxilia na concentração e também na postura, o que melhora a qualidade de vida de quem a pratica.

5. Exercite as mãos

Uma técnica mais simples que o alongamento e que pode ser aplicada sem problemas são os exercícios com as mãos para evitar dores em geral na região. Para realizá-los, também é possível buscar por orientação de profissionais qualificados.

Como você pode perceber, a ergonomia no trabalho é um assunto que é preciso ser levado a sério mesmo para quem trabalha em regime home office. Ao seguir as dicas acima, você cuidará da sua saúde e se tornará mais produtivo, já que vai ter mais qualidade de vida.

(Fonte: http://www.sstonline.com.br/5-dicas-de-ergonomia-no-trabalho-home-office )

Franquias de saúde: quais são os 7 erros comuns e como evitá-los?

Franquias de saúde: quais são os 7 erros comuns e como evitá-los?

Franquias de saúde constituem uma ótima oportunidade de negócio, mas o empreendedor deve atentar para os cuidados que qualquer franqueado precisa ter. A experiência tem demonstrado alguns erros bastante comuns e que podem ser facilmente evitados.

Assim, treinamentos e uma boa avaliação do negócio estão entre os mais comuns cuidados a observar. De todo modo, quando se dispõe de uma boa assessoria, erros assim não ocorrem, mas precisam ser conhecidos.

Continue a leitura e descubra quais são os erros mais comuns nas franquias de saúde e como evitá-los.

1. Subestimar o treinamento da franqueadora

Uma franquia tem regras próprias de seu funcionamento e que devem ser adotadas e seguidas adequadamente pelo franqueado. Ao subestimar o treinamento oferecido pela franqueadora, corre-se o risco de faltar aos encontros de capacitação.

Na implantação de um negócio de franquia ninguém pode substituir o adquirente. Você, como franqueado, deve estar à frente das principais ações do negócio e o treinamento é uma das mais importantes. Assim como ocorre no agronegócio, na saúde também é “o olho do dono que engorda o boi”.

Desse modo, a prática comum de boa parte de franqueados não participarem consistentemente dos treinamentos oferecidos precisa ser reconsiderada ou os riscos para o negócio serão grandes. Para algumas franquias, a ausência pode ser considerada motivo de rescisão contratual.

2. Equivocar-se na avaliação financeira

Iniciar uma franquia de saúde como se o sucesso viesse por si, embutido na marca escolhida chega a ser um erro grosseiro, mas quase comum entre muitos empreendedores. Nada pode dispensar uma adequada avaliação financeira de todos os aspectos envolvidos com o negócio.

Dessa forma, uma boa análise dos custos envolvidos, da real capacidade de retorno e do período de amortização necessário para o início dos lucros do empreendimento é indispensável. Além disso, deve ser extremamente precisa em suas considerações especulativas de projeção.

Assim, as situações condicionantes do sucesso não costumam ocorrer apenas em função do nome da franqueadora. Na verdade, é fruto direto da precisão que norteia o planejamento e da apreciação financeira conduzida antes da formalização do negócio.

3. Desconhecer o sistema de franchising

O sistema de franchising (franquia empresarial) no Brasil, costumeiramente regulado pela Lei No 8.955/1994, com inspiração no modelo adotado nos Estados Unidos, foi muito recentemente alterado. Assim, com a nova Lei No 13.966/2019 a regulação do assunto foi atualizada.

Embora seja uma lei pequena (tem apenas 10 artigos), deve ser conhecida de todo empreendedor que adquire uma franquia. Nesse sentido, uma das determinações da referida lei é que o franqueador forneça ao interessado uma Circular de Oferta de Franquia (COF).

Informações dessa natureza são indispensáveis para o candidato a franqueado e em uma franquia de saúde com mais razão. De seu conhecimento resultam condições mínimas para decisões acertadas e condizentes com a natureza do segmento em questão.

4. Desconhecer o segmento escolhido

Assim como o franqueado deve receber e conhecer a referida COF, também precisa ter familiaridade com o segmento da saúde com o qual resolveu operar. Não basta assinar o contrato de franquia de uma marca famosa: existe uma rotina de trabalho que certamente definirá o sucesso ou o fracasso do empreendimento.

Conhecer as nuances da atividade e poder se situar de modo confortável em seu ambiente é indispensável para colher bons resultados. Boas franquias oferecem bons suportes, mas não fazem o trabalho por você.

Assim, pode ser, por exemplo, que o trabalho exija períodos mais longos disponíveis no começo ou que os finais de semana não possam ser dispensados. Também é possível que determinados conhecimentos técnicos sejam necessários e, desse modo, será preciso estar de posse deles.

5. Escolher um ponto comercial inadequado

Um ponto comercial adequado para a franquia que se pretende constitui um dos aspectos mais sensíveis para o sucesso do negócio. Para sua escolha, muita pesquisa e avaliação cuidadosa deve ser feita e não se pode ter pressa nesse quesito.

Dessa forma, é preciso não apenas considerar a adequação da região, a frequência local e o tipo de comércio existente na área. É necessário também olhar um pouco para o futuro próximo e procurar saber, por exemplo, se há previsão de obras que possam alterar os costumes no local e até impossibilitar o estacionamento normal.

Em qualquer caso, é preciso saber quais são os aspectos mais sensíveis do negócio e tudo o que esse tipo de atividade requer. Esses são os principais norteadores para a escolha do ponto comercial.

6. Desconsiderar a necessidade de capital de giro

Não é incomum franqueados se prepararem para adquirir a franquia e conseguirem o capital inicial (aquisição/aluguel, decoração, investidas promocionais) e desconsiderarem o capital de giro. Este é o que faz o negócio andar.

De modo geral, é preciso dispor de valores em torno de 3 meses de despesas. São recursos que fazem a máquina do negócio funcionar: salários, água, energia, internet e segurança, entre outros.

Nesse sentido, os primeiros meses são essenciais até se conseguir um fluxo de caixa positivo e o próprio negócio gerar o capital de giro necessário. Assim, quando tudo estiver providenciado, é indispensável fazer o empreendimento realmente produzir o resultado que se espera.

7. Não ter perfil empreendedor

Finalmente, não se pode pensar em empreender sem dispor de um perfil adequado para isso. Em especial, deve ser considerado o perfil diretamente relacionado ao tipo de atividade da franquia.

No sistema de franchising, existem regras que não foram estabelecidas pelo franqueado, mas que ele deve cumprir. Faz parte da natureza do empreendimento e, como se costuma dizer, são as regras do jogo.

Por sua vez, a presença do empreendedor adiante de seu negócio, como já referido antes, é indispensável. Não se pode conduzir uma franquia à distância e, portanto, é preciso ter garra e acompanhar todos os momentos do negócio. Especialmente nos primeiros meses, quando se está na fase de se estabelecer na atividade.

Dessa forma, embora sejam comuns os erros apontados nas atividades franqueadas é preciso atentar para suas possibilidades quando são implantadas franquias de saúde. Além de todos os cuidados, é essencial escolher a franquia certa, de empresas consolidadas que aumentem a perspectiva de sucesso.

Nesse sentido, entre em contato conosco e conheça tudo o que a MedNet é uma franquia de saúde que oferece em Medicina do Trabalho e como você pode ser um franqueado de sucesso.

Franquia de saúde